Caritas Arquidiocesana de Maringá - PR

Artigos

 

Dia Mundial do Meio Ambiente

A- A A+

Dia Mundial do Meio Ambiente

AS PEDRAS GRITARÃO

 

O dia 05 de junho é lembrado em todos os países como o Dia Mundial do Meio Ambiente e da Ecologia. É comum também celebrar a semana que comporta este dia como a Semana do Meio Ambiente, lembrada por meio de diversas atividades de conscientização, reflexões e ações concretas. Consiste, portanto, em um tempo propício para dar luz aos assuntos dramáticos da crise socioambiental nas suas multifaces, fazendo ecoar a dor da Mãe Terra, nossa Casa Comum.

 

Neste ano, porém, o discurso ganha novos vieses com a Pandemia do COVID-19, tornando explícito a interconectividade entre os seres vivos; de fato somos UM com o TODO, somos UM com a TERRA. O papa Francisco, por ocasião da benção Urbi et Orbi, afirmou: “avançamos, destemidos, pensando que continuaríamos sempre saudáveis num mundo doente” (27/03/2020). Um “mundo doente”, esta é nossa mais cruel realidade, adoecemos nosso planeta e adoecemos junto com ele. Qual a cura? De onde ela virá? Que voz nos trará essa Boa Notícia?... penso eu que a das pedras!

 

Lucas relata um episódio em que Jesus afirma que a boa notícia, quando não proclamada pela voz humana, seria gritada pelas pedras (Lc 19,40). Essa afirmação encontra paralelo no Profeta Habacuc (2,11), onde o grito das pedras e da madeira é um grito por justiça, é uma voz que clama por aqueles que foram destituídos do direito à vida em plenitude. Dar voz aos injustiçados é a missão dos profetas; desta forma as pedras assumem o protagonismo da busca por justiça e ganha novo status. Sim, as pedras profetizam: denunciam a injustiça e anunciam a boa nova.

 

Por séculos a humanidade vem calando as vozes das profetizas e profetas que denunciam as inúmeras faces das injustiças socioambientais cometidas a todas as criaturas, que sucumbiu espécie por espécie, vida por vida. Diante de tantas vozes silenciadas, uma ressurgiu forte e imponente: o planeta agora fala. É tempo de silenciar-se e ouvir, de aprender as lições que a Mãe Terra nos oferece e pacientemente curar para sermos curados.

 

E qual tem sido este grito? Parece ainda ecoar o apelo pela justiça. É preciso justificar os injustiçados, cada vida negada em sua dignidade e em sua essência sagrada capaz de comportar o Criador. Justiça a cada irmã e irmão que lhe tem negado os diretos a suprir suas necessidades básicas de alimentação, moradia, trabalho, educação, saúde, cultura e lazer. Justiça a cada criatura, a cada espécie, cada elemento físico-químico, que lhe tem negado o seu direito a existências em decorrência do modelo político-social-econômico que promove a exploração, a degradação e a poluição dos ecossistemas.

 

Deste modo, neste dia Mundial da Ecologia, devemos aguçar nossos ouvidos para ouvir o grito das pedras, a voz da nossa Mãe Terra... e ela clama por justiça!

 

Érica Daiane Mauri

Voluntária da Cáritas Arquidiocesana de Maringá

Galeria de Fotos

Dia Mundial do Meio Ambiente

Galeria de Downloads

 Anexo

Artigos Relacionados

Localização

Rua Vereador Joaquim Pereira de Castro - 267

Cep: 87030-170 - MARINGA - PR


 adm.caritasmga@gmail.com     (44) 3263-4887